Fiscalização

Fiscalização

domingo, 29 de setembro de 2013

Bispo Edir Macedo figura nas primeiras colocações em lista dos “mais poderosos do Brasil”


Bispo Edir Macedo figura nas primeiras colocações em lista dos “mais poderosos do Brasil”
Recentemente, o iG começou a publicar em seu portal uma lista com os 60 nomes mais influentes do país. Entre os nomes divulgados, aparecem figuras importantes e conhecidas do cenário nacional, entre eles políticos empresários e líderes de outros segmentos da sociedade. Entre eles está o bispo Edir Macedo, que aparece na posição número 16 da lista.
Figurando entre aqueles considerados os “mais poderosos do país”, o líder da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e proprietário da Rede Record é apontado pela publicação como um homem com forte influência política, econômica, social e midiática.
De acordo com o iG, o poder de Macedo vem da forte ligação existente entre a Igreja Universal e a Rede Record, e afirma ainda que “as duas formam uma espécie de força centrífuga e centrípeta simultânea, que alimenta e diversifica os dividendos surgidos da igreja”.
Os números relacionados a Edir Macedo também ganharam destaque na lista que o classifica como o 16º homem mais poderoso do país. O primeiro destaque é relacionado ao tamanho e alcance da IURD, que está persente em 170 países nos cinco continentes. Apenas no Brasil são 1,8 milhão de fiéis, segundo o IBGE; número que sobe para 8 milhões nas contas da igreja. A fortuna de Macedo também recebeu destaque, principalmente depois de o religioso ser apontado pela revista Forbes com um dos como um dos bilionários do mundo, com uma fortuna avaliada em US$ 1,1 bilhão.
Edir Macedo mostrou seu poder de influencia também com o lançamento da sua biografia intitulada “Nada a Perder”. Dividida em três volumes, dos quais dois já foram lançados, a biografia do fundador da Igreja Universal já superou o best-seller mundial “50 tons de cinza” e também as biografias de Steve Jobs e Eike Batista no número de cópias vendidas.
Outro evangélico a figurar na lista é o deputado Eduardo Cunha, na 55ª posição. Depois de se envolver em uma série de escândalos, Cunha alcançou o Planalto e é descrito pelo iG como “dono de um poder que se ramifica por diversas instâncias e setores da República”. Ao falar da extensão do poder do deputado evangélico, o iG destaca que ele tem notória influência sobre determinados fundos de pensão e estatais, como Furnas e sua respectiva entidade de previdência privada, o Real Grandez, além de esbanjar ascendência sobre a bancada do PMDB.
Outro político bastante conhecido entre os evangélicos a figurar a lista é o deputado Jean Wyllys. Considerado por muitos líderes religiosos como um desafeto e, até mesmo, inimigo dos evangélicos, Wyllys ganhou notoriedade ao vencer o Big Brother Brasil, e se tornou o único deputado federal assumidamente homossexual do Brasil. Na 58ª posição da lista, o deputado é um dos mais conhecidos líderes do ativismo gay no Brasil e ganhou uma notoriedade negativa no meio cristão, sobretudo por seus constantes embates contra o deputado e pastor Marco Feliciano.
Por Dan Martins, para o Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário