Feirinha

Feirinha

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

João Castelo foi reprovado


   
 João Castelo decepcionou eleitores


ABSURDO
O ex-prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB), deixou o comando da capital maranhense de forma melancólica. 
Dizem que, por vingança e muita mágoa, abandonou a cidade por ter perdido a eleição para Edivaldo Holanda Júnior (PTC). A cidade ficou suja, feia, esburacada, com as escolas municipais abandonadas, sendo saqueadas diariamente por bandidos que encontraram facilidade para tal ação criminosa. Não existiam mais vigias nas escolas públicas de São Luís na reta final da administração castelista, que segundo informações, aconteceu por falta de pagamento e assim, o prejuízo ao patrimônio público municipal é grande. Os bandidos levaram computadores, merenda escolar, telhas, mesas, cadeiras, lâmpadas e tudo que encontraram pela frente e o prefeito nada fez para proteger os bens da prefeitura de São Luís. 
O pior é que João Castelo anda pelas ruas fazendo campanha antecipada contra Edivaldo Holanda Júnior, dizendo que será um fiscal do povo 24 hs, de olho na adminsitração do prefeito eleito que tomou posse ontem e já começou a trabalhar. Assim, João Castelo se despediu da nossa cidade, onde foi reprovado pela população com uma triste e fraca administração, tendo a resposta nas urnas na última eleição. Infelizmente foi um CAOS!

TRECHOS DO DISCURSO DE POSSE DE EDIVALDO HOLANDA JÚNIOR
   

Prefeito Edivaldo Holanda Júnior



"A corrupção será vista como crime hediondo. Tolerância zero para ela. É por causa da corrupção que crianças ficaram fora da sala de aula e é por causa dela que morrem pessoas de fome. É por causa da corrupção que não há remédio e nem comida nos Socorrões. É por causa da corrupção que crianças ficaram fora da sala de aula. E é por causa dela que morrem pessoas de fome. Ela é mãe da miséria e do fracasso da Administração que se foi. Com a graça de Deus e o apoio de todos vocês haveremos de combatê-la e de torná-la uma estatística do passado".

"Na educação 130 mil alunos ficaram fora da sala de aula. Foram meses de insensibilidade absoluta do Governo findo em relação às crianças. Elas levarão para sempre, em seus currículos, a marca da incompetência de uma administração que não se preocupou nem com elas, nem com a vida, nem com o cidadão".

Nenhum comentário:

Postar um comentário