quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Prefeitura volta a dialogar com sindicalistas

Portal Prefeitura de São Luís 09/01/2013
 
Márcio Jerry reunido com sindicalistas

A Prefeitura de São Luís mantém o diálogo com os servidores municipais acerca do pagamento do salário de dezembro, remanescente da gestão anterior. No início da noite desta terça-feira, 8, os sindicalistas se reuniram com o secretário Márcio Jerry (Comunicação), para informar sobre o resultado da assembleia da categoria, realizada no auditório da Fetiema, e pedir nova rodada de conversas com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior.
“Vamos esgotar todas as possibilidades para resolver esse problema. Mas, por enquanto, permanece a proposta de parcelamento apresentada na reunião do dia 4 de janeiro de pagamento em três parcelas”, disse o secretário.
Representantes da executiva do Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais de São Luís (SinfuspSL) informaram ainda que durante a assembléia sindicalistas decidiram dar encaminhamento a uma ação judicial, responsabilizando o ex-prefeito João Castelo pela situação financeira caótica da administração municipal, prejudicando o funcionalismo municipal.
O sindicalista Luiz Mariano Freitas destacou a condução democrática que o prefeito Edivaldo Holanda Júnior demonstrou logo no primeiro momento que o problema emergiu.  “Passamos quatro anos sem manter nenhuma espécie de diálogo com o gestor. O atual prefeito nos chamou para conversar logo nos primeiro dias de governo. Defendemos o ato democrático, sem radicalismo”, avaliou Mariano Freitas.
Ainda esta semana o prefeito Edivaldo Holanda Júnior deve conversar com os sindicalistas para explanar detalhadamente a real situação de falência momentânea que encontrou a prefeitura de São Luís.
 “O prefeito vai esclarecer os entraves legais que impedem que a prefeitura contraia empréstimos junto às instituições financeiras para saldar dívida corrente, como é o caso dos salários que deixaram de ser pagos pelo ex-prefeito. Infelizmente e irresponsavelmente o ex-prefeito priorizou o pagamento a fornecedores e até pessoas físicas nos últimos dias do ano fiscal, prejudicando os servidores”, explicou Márcio Jerry.
Os sindicalistas reconhecem que o acordo de parcelamento é a melhor proposta nesse momento e o recurso da greve é visto como medida extrema. No entanto, propõem o pagamento em três parcelas, todas em janeiro. “Em todas as negociações que temos conhecimento sobre salários em atraso ultrapassam dez parcelas. A proposta nos parece razoável, mas pretendemos buscar uma solução que traga benefício para os servidores e para o município de São Luís”, disse Vitório Aguiar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário