sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

'Eles buscam afeto', diz pai de netos de Pelé que receberão pensão do avô

Pai dos jovens diz que qualquer valor decidido pela Justiça será bom.
Por meio de sua assessoria, Pelé disse que não falará sobre o assunto.
 
 
Os irmãos querem ter um contato mais próximo com o avô  (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
Os irmãos querem ter um contato mais próximo
com o avô (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
 
Após o anúncio, nesta quarta-feira (11), de que Pelé terá que pagar uma pensão aos dois netos, filhos da ex-vereadora santista Sandra Regina Machado Arantes do Nascimento Felinto, o pai das crianças afirma que os meninos estão vivendo bem e o maior interesse deles não é o dinheiro, e sim a aproximação com o avô.
Depois de uma longa batalha judicial, as duas crianças, Octávio, de 15 anos, e Gabriel, de 13, ganharam na Justiça o direito de receber uma pensão mensal dada por Pelé. Cada um deve receber quantia provisória de R$ 4.746.
Sandra Arantes do Nascimento, filha de Pelé, morreu de câncer de mama em 2006. As crianças, que atualmente moram com o pai, chegaram a treinar em clubes de futebol do Paraná para tentar seguir os passos do avô. Durante o processo, os advogados alegaram que as crianças passaram a infância sem ter acesso a necessidades básicas. Os desembargadores aceitaram a tese e consideraram que Pelé tem uma dívida com os netos. Ainda cabe recurso por parte da equipe de advogados do ex-atleta.
Segundo o pai dos jovens, Ozeas Felinto, qualquer valor decidido pela Justiça será bom para os meninos. Mas, ele afirma que os netos de Pelé não passam por nenhuma necessidade. "Graças a Deus não falta nada aos meus filhos. Com essa ajuda, porém, eles vão ter uma qualidade de vida melhor", afirma.
 
Netos de Pelé com o pai Ozéas (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)
Netos de Pelé com o pai Ozéas (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)


Ainda segundo Ozeas, os meninos sempre falam sobre Pelé, mas não existe nenhum contato físico com o ex-jogador. Para ele, mais importante que a pensão é que os filhos se aproximem mais do avô. "Antes do processo não tinha nenhuma aproximação. Agora acreditamos que em breve pode ocorrer", acredita Felinto. Ele acredita que o caso ajudará a unir os netos e o avó, que é conhecido em todo o mundo. "Eles falam, gostam do avô, sentem o maior orgulho dele. Mas ainda buscam o afeto" afirma.
 
Ozeas Felinto irá, nesta sexta-feira (13), conversar com o advogado Claudio Forssell, que defende os meninos na Justiça, para ter detalhes sobre o processo e a decisão. O advogado conversou com o G1 sobre o caso. "Os valores foram fixados pela juíza de Osasco, mas entendemos que não foi um valor satisfatório e entramos com recurso, que foi julgado ontem (quarta) pelo Tribunal de Justiça. Ainda não tive acesso aos detalhes da nova decisão. Vou me inteirar desse assunto ainda hoje", afirmou o advogado, nesta quinta-feira (12).
O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa de Pelé. Na manhã desta quinta-feira (12), Pepito, assessor pessoal do ex-jogador há vários anos, afirmou que Pelé está ciente do assunto, mas não se manifestará a respeito.
 
 
Luta pela paternidade Em 1991, Sandra Regina Machado, então com 27 anos, entrou com uma ação na Justiça para ser reconhecida como filha do "rei do futebol". Só ganhou a ação em 1996, quando adquiriu o sobrenome famoso do pai. Os traços do rosto dela lembram os de Pelé, mas mesmo assim ele insistia em negar a paternidade.
Em 1992, um exame de DNA provou que Sandra era filha do ex-jogador. Após recursos que se estenderam por mais quatro anos, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a paternidade e negou o pedido de um novo exame de DNA.
Em maio de 1996, Sandra ganhou "Arantes do Nascimento" no sobrenome e recebeu a nova certidão de nascimento com o nome de Pelé e dos avós paternos. Ela nasceu no Guarujá em 24 de agosto de 1964, após um relacionamento da empregada doméstica Anízia Machado com o ex-jogador do Santos.
Mesmo com o fim da batalha judicial, que saiu de Santos e chegou a Brasília, Pelé preferiu não se aproximar da filha. ''Para mim, biologicamente, ela pode até ser minha filha. Mas, na parte sentimental, não posso me preocupar com essa pessoa, porque não a conheço'', disse ele na época.
Pelé criticou o fato de Sandra ter esperado tanto tempo para exigir o reconhecimento da paternidade. No mesmo ano em que a Justiça deu a Sandra o sobrenome do pai, o ex-jogador soube que seria pai de mais duas crianças, os gêmeos Celeste e Joshua, de seu casamento com Assíria Nascimento.
A história de Sandra é oposta à de sua irmã, a fisioterapeuta Flávia Kurtz, de 36 anos, que foi apresentada publicamente como filha de Pelé em 2002, sem necessidade de processar o pai. Pelé teve um relacionamento com a mãe de Flávia em 1969, durante uma viagem a Porto Alegre.
Além de Sandra, Flávia e dos gêmeos, Pelé é pai de Kelly Cristina, Edinho e Jennifer.
 
 
G1.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário