REFAZ 2017

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Comoção marca velório da menina Ana Clara no Pax do Anil

 
Governo do Maranhão, por meio da Sedihc está prestando auxílio aos familiares com uma equipe formada de assistentes sociais, psicólogos e advogados
 
 
 
Velório  (MAURO WAGNER/OIMP/DAPRESS)
Velório
 
 
 
 O Imparcial
 
 
Centenas de pessoas estão levando os sentimentos à família da menina Ana Clara, que morreu na manhã desta segunda-feira (6), no Hospital Juvêncio Matos, em São Luís.

O corpo de Ana Clara foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) por volta das 10h. No início da tarde, o corpo foi levado para a Central de velórios do Pax, localizado no bairro do Anil.

Autoridades política, policiais, vizinhos, amigos e parentes foram ao local do velório levando os  sentimentos aos familiares de Ana Clara.  
 
O enterro está previsto para às 10h, de terça-feira (7), no cemitério Jardim da Paz, na estrada de Ribamar.
 
 
 
 
Comandante Geral da Polícia Militar Zanoni Porto compareceu ao velório (MAURO WAGNER/OIMP/DAPRESS)
Comandante Geral da Polícia Militar Zanoni Porto compareceu ao velório
 
 
 
 
O CASO
 
A menina Ana Clara Santos Sousa, de 6 anos, que teve mais de 95% do corpo queimado dentro do ônibus durante o ataque da última sexta-seira, em São Luís. Após o ataque, Ana Clara foi internada no Socorrão II e depois foi transferida no último sábado para o Hospital Juvêncio Matos, mas não resistiu e veio a óbito.

Ana Clara, a mãe dela Juliane Carvalho Santos e a irmã Lorrane Beatriz Santos, de 1 ano e 5 meses, foram atacadas no ônibus da Vila Sarney quando criminosos atearam fogo com passageiros dentro do veículo. As outras duas continuam internadas.
 
SOLIDARIEDADE

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania (Sedihc) está prestando auxílio aos familiares e às vítimas dos atos de vandalismo que resultaram no incêndio a ônibus na sexta-feira (3), em São Luís. Uma equipe formada por assistentes sociais, psicólogos e advogados acompanha as vítimas.

“Lamentamos muito a morte da menina Ana Clara, cuja família terá acompanhamento reforçado, e continuaremos a dar suporte para os parentes dos outros, além de assistência à saúde e psicológica”, declarou a secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania, Luiza Oliveira.

O Governo do Estado disponibilizou auxílio funeral para a família da menina Ana Clara Santos, de 6 anos, que morreu em decorrência das queimaduras em mais de 90% do corpo. Os demais atingidos continuam internados nos Hospitais Juvêncio Matos e Tarquínio Lopes (Geral) e recebem, além do suporte da equipe da Secretaria, auxílio para transporte e outros. A partir desta segunda-feira (6), recebem cestas básicas.

A ouvidoria de Direitos Humanos, vinculada à Sedihc, está acompanhando todo o processo de investigação policial. “Reiteramos o nosso repúdio pelos atos de violência ocorridos na sexta-feira passada contra trabalhadores e crianças e nos solidarizamos com os familiares da menina Ana Clara. Acompanhamos, ainda, a recuperação das demais vítimas que também recebem o apoio devido”, assinalou a secretária de direitos humanos, assistência social e cidadania, Luiza Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário