REFAZ 2017

domingo, 13 de abril de 2014

Prefeito Edivaldo garante pescado a menor custo na Semana Santa

Projeto “Peixe na Mesa” possibilitará ao consumidor de baixa renda a aquisição de pescado a preços mais acessíveis
 

 
A Prefeitura de São Luís viabilizou a venda de 65 toneladas de pescado em dez bairros da cidade durante a Semana Santa, com preço até 25% mais barato do que o praticado no mercado varejista local. A partir desta segunda-feira (14), o projeto “Peixe na Mesa” inicia a venda do produto no Viva do Anjo da Guarda, às 15h.

Com a ação, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior pretende contribuir de forma concreta para a regulação dos preços praticados na venda do pescado, bastante volátil nesse período. Ao mesmo tempo, a gestão municipal colabora para garantia da segurança alimentar da população ampliando o consumo do peixe que, no Maranhão, fica abaixo da média nacional.

“Estamos felizes por garantir o pescado mais barato àqueles que mais precisam na Semana Santa. Um produto de qualidade, inspecionado, que traz a segurança alimentar necessária, e que permite, para esta faixa da população neste período, maior acesso ao alimento diferenciado”, destacou o prefeito.

A ação é coordenada pela Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa). A comercialização do pescado será feita em feiras itinerantes pelo “Caminhão do Peixe”, em dois turnos, no período que antecede o feriado da Semana Santa. A média de preços do “Peixe na Mesa” varia entre R$ 4,50 e R$ 25. O gerenciamento do projeto será executado por empresa contratada por meio de processo licitatório realizado este ano.


                                Foto: Honório Moreira


“A ideia é aproximar o consumidor de baixa renda de um produto tão nutritivo”, destaca o secretário Marcelo Coêlho. Ao menos oito espécies de peixe serão comercializadas nas feiras itinerantes do “Peixe na Mesa”.  O critério de escolha dos locais e dos bairros que sediarão as feiras considerou, sobretudo, a localização estratégica para expandir o atendimento da população de áreas adjacentes.

Todo o pescado comercializado apresentará selo oficial de inspeção sanitária de produtos de origem animal expedido pela Semapa e cada consumidor poderá adquirir no máximo cinco quilos. A inspeção será feita nos entrepostos de pescados para que somente após o procedimento seja liberado o produto para comercialização. “A população pode ficar tranquila e segura em relação à qualidade do produto que tem procedência inspecionada pela Semapa”, garante Marcelo Coêlho.

Segundo o secretário, embora a Semapa tenha contratado uma empresa para responder pela logística, durante a execução do projeto “Peixe na Mesa” serão mobilizados agentes de trânsito da Secretaria de Trânsito e Transportes (SMTT) e a Guarda Municipal, da Secretaria de Segurança com Cidadania (Semusc). “Vamos garantir à população a segurança necessária para que ele adquira o produto com preço honesto e de maneira tranquila”, enfatizou o secretário.

Dentre a variedade de peixes oferecidos pelo projeto estão a pescada amarela, o palombeta, o peixe pedra, corvina cobra, peixe serra, tainha, tambaqui e uritinga.





Nenhum comentário:

Postar um comentário