Limpeza

Limpeza

domingo, 20 de novembro de 2011

Botafogo mira três nomes: Autuori, Jorginho e Marcelo Oliveira

 

Técnico da seleção sub-20 do Qatar é o nome dos sonhos, mas sua liberação é difícil. Oferecido, Renato Gaúcho é descartado por causa de 92

Thiago Fernandes RJ
globoesporte.com

O Botafogo trabalha com três nomes para substituir o técnico Caio Júnior. Paulo Autuori, Marcelo Oliveira e Jorginho são os mais cotados para assumir o comando do futebol alvinegro no ano que vem.
Paulo Autuori, campeão nacional pelo próprio Botafogo em 1995, é um nome dos sonhos. Contudo, a contratação dele é improvável, já que o técnico tem contrato com o Qatar (ele dirige a seleção sub-23) até maio do ano que vem e uma multa rescisória considerada muito alta. A negociação com ele seria complicada neste momento.
Montagem Botafogo Paulo Autuori, Jorginho, Marcelo Oliveira (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)
Paulo Autuori, Jorginho e Marcelo Oliveira são os preferidos da lista
(Foto: Editoria de Arte/globoesporte.com)
Jorginho, atual treinador da Portuguesa, aparecia como a opção mais próxima, já que seu vínculo com a Lusa terminaria no fim do ano. No entanto, na última sexta-feira, no jogo de festa do título da Série B, quando a Lusa bateu o Duque de Caxias por 4 a 0, ele anunciou que deve permanecer no clube até 2012,  após ter acertado com a diretoria um reajuste salarial.
- Meu contrato é para permanecer até o fim de 2012, mas impus algumas condições como investimento no esporte amador, melhoria do centro de treinamento e reforços para a disputa do Campeonato Brasileiro. A diretoria tem até o fim do Campeonato Paulista para cumprir isso. Dinheiro nunca foi a minha prioridade. A única coisa que me tira daqui é o não cumprimento do que foi prometido. Isso me tira daqui seja hoje, amanhã ou no dia que for - alertou o treinador, que negou ter sido procurado pelo Botafogo.
Quem também agrada à diretoria alvinegra é Marcelo Oliveira, que comanda o Coritiba. A renovação de contrato com a equipe paranaense não seria um empecilho muito grande na visão dos dirigentes do Botafogo. Marcelo tem a seu favor o fato de ter jogado pelo Glorioso e, por isso, ter identificação com o clube.
Mesmo fora da lista dos preferidos, Oswaldo de Oliveira corre por fora para assumir o comando do time. O técnico tem a simpatia de algumas pessoas da cúpula alvinegra e é visto como um técnico campeão. O treinador, que está no Kashima Antlers (JAP), conquistou o Brasileiro por Corinthians, em 1999, e Vasco, em 2000 (no Gigante da Colina, Oswaldo saiu nas semifinais após desentendimento com o então presidente Eurico Miranda, sendo substituído por Joel Santana).

Muitos nomes oferecidos. Muitos descartados
Desde que Caio Júnior deixou o Botafogo, vários nomes foram oferecidos e especulados para a diretoria alvinegra. E quase todos foram descartados de pronto. Jorginho, que comanda o Figueirense, René Simões, Branco, Paulo César Carpegiani e Renato Gaúcho foram alguns que rondaram General Severiano. Nenhum deles agrada à cúpula alvinegra. Em especial o último, pelo qual a torcida tem forte rejeição por conta de um episódio de quando era jogador do clube.
Em 1992, Botafogo e Flamengo decidiram o Campeonato Brasileiro. No primeiro jogo das finais, o Rubro-Negro ganhou por 3 a 0 e Renato, então jogador alvinegro, foi à comemoração da equipe rival por conta de uma aposta que tinha feito com o amigo Gaúcho. A repercussão do episódio foi péssima, e Renato foi afastado do time. No jogo de volta, as equipes empataram por 2 a 2 e o título foi para a Gávea. Desde então, a torcida do Glorioso não perdoa o ex-jogador.
O nome do novo treinador só será anunciado após o Campeonato Brasileiro. Até lá, a diretoria tenta que esse assunto seja o menos badalado possível, para não tirar a concentração dos atletas que ainda buscam a vaga na Libertadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário